Em um sábado nublado, as professoras do Fundamental I chegaram ao Colégio Uirapuru trazendo no olhar a urgência e o interesse típicos de quem se alimenta de descobertas. E é por meio da aquisição permanente de novos saberes, que o nosso corpo docente elabora diferentes estratégias para permitir aos alunos a reflexão e a criação de hipóteses que os ajudem a viver e se apropriar da aprendizagem de novas experiências. 

Parte dessa formação continuada, uma oficina de cianotipia, foi o motivo que levou as professoras ao Colégio em um sábado nublado.  E o cinza se fez azul por meio da aprendizagem desse diferente método de impressão. Sabemos que a fotografia por si só é um registro minucioso, tão detalhista quanto a lembrança que vivemos na época em que o clique foi feito.  E a Cianotipia? Só que se trata essa técnica? 

A cianotipia é um processo fotográfico descoberto pelo inglês John Herschel, no século XIX, que remonta às origens da fotografia. É uma técnica fotossensível de impressão por contato: um negativo ou um objeto (quando se trata de um fotograma) é colocado sobre o suporte (papel, tecido, madeira) emulsionado com um produto químico fotossensível à base de sais de ferro que, quando exposto à radiação U.V. (luz solar ou lâmpadas ultravioleta), precipita e fixa o produto à superfície. Ao lavar o suporte com água, pode-se observar a imagem formada pelo processo com sua característica cor azul. 

Estava um dia nublado, mas o sol veio nos visitar, por entre as nuvens, por apenas alguns minutos…confira os resultados!

Usamos cookies para coletar informações sobre como você interage com nosso site, permitindo melhorar e personalizar sua experiência de navegação e realizar análises e métricas sobre nossos visitantes. Para obter mais informações, leia nossa Política de privacidade. Ao clicar em Eu concordo, você aceita a utilização desses cookies.

Configurar ou Rejeitar Aceitar todos