Alunos dos Colégios Uirapuru e OSE-COC Sorocaba aprendem na prática como funciona o trabalho realizado pela ONU

 

Nos dias 9 e 10 de agosto, o Colégio Uirapuru realizou o Uiramun 2019 - terceira edição da Simulação Acadêmica da Organização das Nações Unidas (ONU). Neste ano, os alunos do Colégio OSE-COC Sorocaba foram convidados para compartilhar esta vivência. Como o tema “Dar vida aos Direitos Humanos”, participaram aproximadamente 200 jovens, alunos do Ensino Médio e, alguns do 9º ano do Ensino Fundamental. A simulação oferece aos alunos a possibilidade de viver os objetivos da ONU: manter a paz e a segurança internacional, proteger os direitos humanos, promover ajuda humanitária e o desenvolvimento sustentável. Para alcançar essas causas nobres, os jovens se dividiram em comitês, cada um discutindo um assunto. 

 . Unodoc (Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crimes) - “Convenção contra a corrupção”

. Acnur (Agência para Refugiados) - “Refugiados Rohingya”

. ONU Mulher - “Convenção contra a discriminação de mulheres”

. Conselho de Segurança - “ Uso de armas químicas na Síria”

. Conselho de Segurança Histórico - “Guerra da Bósnia”

. Imprensa 

A abertura contou com a participação do Diretor Arthur Fonseca Filho. Arthur falou da alegria em ver jovens reunidos aprendendo sobre diplomacia. Ele agradeceu a presença e a participação dos alunos da OSE-COC e falou sobre a estreita relação entre os colégios. “Ficamos felizes em perceber que hoje vocês, além de aprenderem mais sobre Direitos Humanos, começam a viver os Direitos Humanos”, fala. Antes de iniciar as discussões, os jovens assistiram uma palestra da Profa. Dra. Patricia Rinaldi da Facamp. Nesta exposição, Patrícia trouxe bases históricas sobre a evolução dos Direitos Humanos, dos 17 objetivos do desenvolvimento sustentável e a importância da Declaração Universal. “O que vocês estão vivendo hoje aqui não é brincadeira, muitos podem até pensar ser encenação teatral, mas não. As práticas de negociação são práticas e esforços reais para atingir um consenso”, explicou. Patrícia ainda ressaltou a necessidade de se criar soluções para futuras guerras pelo controle de recursos naturais. 

Bruna Gonçalves, aluna de Direito na USP e ex-aluna do Colégio, contou sua experiência em participar de simulações pelo mundo todo. Ela falou sobre a importância da preparação, estudar e entender os temas. Outro ponto importante foi abrir os olhos para que os alunos percebam o enriquecimento cultural que eles adquirem em viver as simulações dentro e fora do país. Na sexta e no sábado, os alunos argumentaram, negociaram e fizeram alianças para chegar ao senso comum. “Fico surpresa em ver que os alunos amadurecem durante o próprio evento. É muito importante aprender quando falar, ouvir antes de argumentar e respeitar posicionamentos contrários. Esse evento nos traz muito orgulho”, fala Daniela Almenara, coordenadora do Ensino Médio. 

No sábado o Prof. Dr. João Carlos Silva, da Universidade Federal de Roraima, expôs os reflexos do pós-guerra em uma nação. Ele reforçou o que a Profa. Patrícia havia dito sobre riquezas ambientais como ativos econômicos. “Hoje, ter natureza significa ter riqueza, por isso se tornou uma discussão tão presente nas Relações Internacionais. Vislumbrem o trabalho da ONU, é um patrimônio do qual não podemos abrir mão. O mundo que dialoga é muito melhor”, afirmou o professor.  Aline de Aquino, professora de Geografia e organizadora do Uiramun, ficou muito satisfeita com o resultado do evento e com o entrosamento entre alunos do Uirapuru e OSE-COC Sorocaba. Para Maura Bolfer, coordenadora do Colégio, o Uiramun é uma oportunidade de mostrar que a escola não é apenas uma escola bancária, onde os alunos só recebem o que o professor ensina, uma via de mão única. “O que promovemos aqui é um espaço de trocas. Os alunos se abrem para o mundo, são eles que organizam tudo e nos mostram como possuem autonomia. É muito gratificante ver como nossos jovens já incorporam e assumem papéis verdadeiros”, expõe Maura. 

Confira alguns momentos do Uiramun 2019: