Baixe e conheça o nosso Aplicativo Uirapuru

Alunos do 3º. ano do Ensino Fundamental aprendem como elaborar o gênero textual. Todo adulto, em algum momento da sua vida, já teve um diário. Muitos deles, fechados a “sete chaves”, guardavam segredos e sentimentos que ainda não compreendiam em sua plenitude. O gênero textual Diário faz parte dos conteúdos de Língua Portuguesa do 3º ano do Ensino Fundamental I. É a partir dele, que as professoras iniciam o trabalho de escrita pessoal, que mais à frente terá como tema os contos de memória. O trabalho em sala de aula teve início com a leitura de diferentes diários trazidos e selecionados pelas professoras. Após despertar a curiosidade, os alunos foram direcionados a observar que existia uma estrutura que caracterizava esse gênero textual. Com o apoio do livro, os alunos compreenderam quais eram essas características, a abertura do texto (Meu querido diário), a escrita em primeira pessoa, a importância da data, a temporariedade das informações e a assinatura do texto, evidenciando o autor. A cada leitura, os alunos se envolviam mais. As professoras percebiam que para eles ainda distante a prática do registro do cotidiano. Foi então que as crianças puderam manusear um diário escrito por alguém próximo, alguém real. Uma das professoras compartilhou os diários que escreveu durante a infância, mostrando que é possível manter vários registros, não apenas os fatos do dia a dia, mas trechos de livros, letras de músicas, fotografias e desenhos, que reflitam a personalidade do autor.Isso os aproximou dessa escrita, estimulando-os a registrarem seus próprios segredos. Assim, os alunos foram presenteados com um diário personalizado pelo Colégio. Essa entrega não seria tão simples, merecia um momento diferenciado, que fosse especial.Para isso, a coordenadora do Berçário, Fernanda Rodrigues, foi convidada para um encontro  com as crianças (muitas passaram pelos cuidados dela, seria bom revê-los) e fez a entrega do presente. Fernanda contou sobre um projeto realizado há algum tempo, no qual Fred, o fazendeiro do Uirapuru, acompanhava as crianças em suas casas e tudo o que faziam era registrado em um diário.Os alunos amaram a surpresa! Decoraram as capas e durante as aulas as professoras têm visto muitos deles com os diários nas mochilas, embaixo das carteiras e agarrados no braço. Segredos e momentos da infância eternizados no papel.

Confira alguns momentos do Projeto Meu Primeiro Diário: