Na quinta-feira, 29 de setembro, o Colégio Uirapuru reuniu pais, alunos e colaboradores para um bate-papo sobre Educação Digital com a Dra. Alessandra Borelli, da Nethics. A partir de 2017, a Necthis Educação Digital estará sempre presente no Colégio Uirapuru para abordar temas importantíssimos sobre tudo o que acontece e pode acontecer no mundo cibernético e contribuindo em nossos projetos.

Nesse encontro, Dra. Alessandra falou sobre o crescimento da demanda de pais, alunos e escolas envolvidas em processos de crimes digitais. Segundo ela, nunca se falou tanto em crimes contra a honra, cyberbulling, calúnia, injúria, pedofilia, e todos os crimes digitais que envolvam crianças e adolescentes. No mundo de hoje, não há como viver sem internet, ela faz parte da vida das pessoas, veio para resolver muitas coisas, facilitar, mas tudo o que e postado, curtido, compartilhado deve ser avaliado com cautela, pois uma vez postado na rede, não tem devolução.

Os pais devem dominar o uso da internet a favor da família e dos filhos. Em uma pesquisa foi diagnosticado que o celular é como se fizesse parte integrante do corpo e, para 29% dos jovens, se torna algo ainda mais importante que os próprios pais.

Esse consumo excessivo já traz alguns malefícios para as crianças, como por exemplo: crianças que não conseguem brincar de bola, bicicleta, nadar, doenças como pressão na coluna, perda auditiva por conta do uso de fones de ouvidos, dores nas articulações, olho seco e até mesmo insônia. Os jogos online são muito atraentes, mas os pais devem administrar o tempo. Ela alertou também para os cuidados com os grupos de WhatsApp.

Dra. Alessandra trouxe ainda muito exemplos reais sobre processos e penas aplicadas aos jovens e responsáveis, em situação consideradas crimes digitais. Segundo ela, os pais precisam transmitir para seus filhos o valor da privacidade. É papel da escola contribuir para o desenvolvimento dos alunos, mas cabe aos pais formar e construir valores para que seus filhos se tornem adultos responsáveis e conscientes de seus atos.

“Participar da vida digital dos filhos dá trabalho, mas não participar dá muito mais trabalho. A moda passa, mas o que se faz na internet fica para sempre”, concluiu Dra. Alessandra.