Baixe e conheça o nosso Aplicativo Uirapuru

Texto produzido na disciplina de Práticas de Biologia (2ª série/EM)

 

Autor: Rafael Kalil Guimarães          Série: 2º B 

Revisão: professora Daniela Almenara

A febre amarela é uma doença infecciosa grave, causada por vírus e transmitida por mosquitos vetores, especialmente do gênero Haemagogus, que vive em copas de árvores em ambiente rural ou silvestre.

Até fevereiro de  2017, foram notificados cerca de 1200 casos suspeitos de febre amarela ao Ministério da Saúde do Brasil. Do total deles, aproximadamente 200 evoluíram para óbito.

As primeiras manifestações da doença são repentinas: febre alta, calafrios, cansaço, dor de cabeça, dor muscular, náuseas e vômitos por cerca de três dias.

A febre amarela pode ser assintomática, leve, moderada, grave e maligna. Em aproximadamente 90% dos casos, o quadro clínico é assintomático ou oligossintomático (sem sintomas, ou sintomas leves).

Como a transmissão urbana da febre amarela só é possível através da picada de mosquitos Aedes aegypti , a prevenção da doença deve ser feita evitando sua disseminação.

Deve-se evitar o acúmulo de água parada em recipientes destampados para que não seja possível a fêmea do mosquito colocar seus ovos, de onde nascerão as larvas que, após desenvolverem-se na água, se tornarão novos mosquitos.

Além desse tipo de prevenção, devem ser tomadas medidas de proteção individuais, como a vacinação contra a febre amarela, especialmente para aqueles que moram ou  vão viajar para áreas com indícios da doença.  Para ser efetiva, a vacina deve ser tomada pelo menos dez dias antes da exposição. 

Outras medidas preventivas são o uso de repelentes de insetos, de mosquiteiros e de roupas que cubram o corpo todo.